Obesidade na terceira idade: riscos e cuidados

Obesidade na terceira idade- riscos e cuidados - Instituto Sallet

O excesso de peso pode ser uma realidade em qualquer fase da vida. Contudo, a obesidade na terceira idade pode trazer sérias e específicas consequências para a saúde, como a aceleração de doenças degenerativas.

Assim, para quem deseja chegar nessa fase com mais saúde e qualidade de vida é importante saber os riscos e cuidados que se deve ter com a obesidade na terceira idade!

Crescimento da obesidade na terceira idade

No Brasil notou-se um crescimento de 20% no índice de obesos nos últimos 10 anos, atingindo também pessoas acima dos 65 anos. Para esta faixa etária, houve um aumento de 26% dos casos de obesidade na última década. A maior parte são mulheres (16,7%), já os homens nessa faixa etária são de 8,1%, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).  

Esse quadro é causado por diversos fatores, como:

  • Diminuição no ritmo das atividades diárias, pois grande parte das pessoas acima dos 65 anos já é aposentada;
  • Sedentarismo, seja pela falta de motivação, interesse ou até problemas físicos;
  • Má-alimentação, como consumo excessivo de alimentos industrializados e processados, com excesso de açúcar e sódio.

Riscos para a saúde

A obesidade oferece riscos para a saúde, pois está ligada a doenças que podem reduzir a qualidade de vida e acelerar o processo de doenças mais sérias. Seguem alguns exemplos de riscos da obesidade na terceira idade:

  • O idoso pode ter perda de equilíbrio devido à idade e também ao excesso de peso e, com isso, ficar mais suscetível a quedas e fraturas;
  • Por ser uma doença inflamatória a obesidade também deixa o idoso com risco de sofrer com artrites;
  • Elevação da pressão arterial causadora de diversas complicações para a saúde, como Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infarto;
  • Resistência à insulina, uma das causas do Diabetes.

Doenças relacionadas a obesidade

A obesidade em idosos também pode favorecer o aparecimento de doenças ou a piora de algumas delas, como:

  • Aumento do risco de ter ou agravar quadros de doenças relacionadas à demência, como Alzheimer, Parkinson, entre outras;
  • Aumento do colesterol, que favorece o AVC e infarto;
  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • Apneia do sono;
  • Artrose;
  • Coronariopatia;
  • Esteatose hepática;
  • Gota;
  • Insuficiência renal.

Por isso, é importante verificar o Índice de Massa Corporal (IMC) e, caso comprove sobrepeso, o ideal é buscar ajuda médica e nutricional para que a situação não se agrave e fique suscetível a essas doenças.

Quando a cirurgia bariátrica é recomendada?

O idoso pode se beneficiar com a cirurgia bariátrica (cirurgia de obesidade) e assim reduzir os riscos causados pela obesidade. Entretanto ele precisa ter:

  • IMC igual ou maior que 40kg/m² ou
  • IMC igual ou maior que 35kg/m², comprovando doenças associadas (como pressão alta, diabetes, colesterol alto entre outras).

Além disso, o ideal é que a cirurgia bariátrica seja realizada em pessoas de até 65 anos. A partir desta faixa etária o risco de complicações e tempo de recuperação podem ser maiores.

É importante considerar a relevância de uma criteriosa avaliação de equipe transdisciplinar especializada. Só assim será possível definir, com segurança e ética médica, se o idoso está apto ou não para realizar a cirurgia bariátrica. E também, qual seria a técnica cirúrgica ideal para esse paciente.

Agora que já conhece os riscos e cuidados com a obesidade na terceira idade, aproveite e faça o cálculo gratuito do seu Índice de Massa Corpórea (IMC)!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *