Balão Intragástrico

O tratamento com Balão Intragástrico é temporário e transitório (06 meses) e consiste na introdução de um balão inflável de silicone dentro do estômago por via endoscópica. Logo após a sua introdução, o balão é insuflado com cerca de 500-600 ml de líquido, com a finalidade de reduzir a capacidade do estômago e a ingestão de alimentos. Trata-se de um procedimento simples, sob leve sedação e realizado em ambiente hospitalar. Não é cirurgia!

Entretanto, por ser um procedimento transitório, faz-se necessária a adaptação do paciente às mudanças comportamentais, como reeducação alimentar e práticas regulares de atividade física.

INDICAÇÃO:

  • Pacientes Superobesos (IMC acima de 50 kg/m2) com alto risco cirúrgico (Diabetes, Pressão Alta, Apnéia do sono) como procedimento prévio a cirurgia bariátrica
  • Pacientes sem indicação cirúrgica (ou que não desejam operar) com IMC ≥ 27 kg/m2.

CONTRA-INDICAÇÕES:
• Esofagite de refluxo, hérnia hiatal, estenose ou divertículo de esôfago, lesões potencialmente hemorrágicas, como varizes e angiodisplasias
• Cirurgia gástrica ou intestinal de ressecção
• Doença inflamatória intestinal
• Uso de anti-inflamatórios, anticoagulantes, álcool ou drogas
• Transtornos psíquicos

EFEITOS COLATERAIS:
São comuns náuseas e vômitos nos primeiros dias, que evoluem usualmente com melhora. A intolerância precoce a ponto de ter que retirar o balão é baixa, aproximadamente 1,5%.

COMPLICAÇÕES:
As complicações graves são raras, cerca de 0,1%, e podem ser:
• Aderências ao estômago; úlceras e erosões gástricas
• Esvaziamento espontâneo do balão com obstrução intestinal por migração do balão
• Perfuração gástrica
• Infecção fúngica em torno do balão
• A mortalidade é praticamente zero

VÍDEO EXPLICATIVO

FAQ

  • Quais os benefícios do balão gástrico para obesos?

O balão gástrico é um procedimento minimamente invasivo que reduz a capacidade do estômago e provoca a perda de apetite e a otimização da saciedade, auxiliando no emagrecimento. O balão não provoca mudanças fisiológicas e hormonais. O tratamento pode ser repetido quantas vezes for necessário. Há uma perda média de 10% a 20% do peso total inicial. É considerado um tratamento de baixo risco.

  • Quem pode colocar o balão intragástrico?

O balão intragástrico é recomendado para pessoas super obesas (IMC maior do que 50kg/m²) com alto risco cirúrgico, como opção de tratamento que pode anteceder a cirurgia bariátrica; e pessoas sem recomendação cirúrgica (ou que não querem se submeter a esse tipo de procedimento), com IMC acima ou igual a 27 kg/m².

  • O balão gástrico promove algum incômodo?

É possível que haja algum desconforto, especialmente nos 3 primeiros dias posteriores ao procedimento, como náuseas e enjoos. São reações normais do organismo, uma vez que ele está se adaptando a um corpo estranho. Após a adaptação não há outros incômodos durante a utilização do balão.

  • Quanto tempo fico com o balão gástrico no estômago?

O prazo de permanência do balão gástrico no estômago pode variar entre 4 a 12 meses, de acordo com a necessidade do paciente e o tipo de balão adotado. No entanto, essa escolha do tipo de balão depende das condições do paciente e avaliação médica.

  • Usar o balão intragástrico temporariamente significa que terei perda temporária de peso?

Não. O balão intragástrico é um procedimento com resultados consistentes desde que se siga as recomendações dos especialistas, que envolvem a reeducação alimentar e a prática regular de atividades físicas. 

  • Quanto custa um balão intragástrico?

O valor do tratamento completo com balão intragástrico custa em torno de 10 a 20 mil reais.

  • Como é feita a colocação do balão intragástrico?

Nos métodos mais tradicionais a colocação é feita por meio de endoscopia, com leve sedação. Na nova tecnologia, não é utilizado endoscopia, sedação ou anestesia. Todo o processo é rápido e a alta do paciente acontece após alguns minutos.

  • Como é feita a retirada do balão intragástrico?

No método tradicional do balão intragástrico, o balão é retirado por endoscopia, com leve sedação. No novo modelo de balão intragástrico, ao final do período médio  de tratamento, o balão se esvazia isoladamente e é eliminado naturalmente pelo organismo. Não é necessário  procedimento endoscópico.

  • Quais convênios cobrem a colocação do balão intragástrico?

O tratamento com balão intragástrico não é coberto pela maioria dos convênios. Consulte o IMS para mais informações sobre cobertura de seu plano.