Saúde para o corpo e mente: yoga e meditação no auxílio do tratamento da obesidade 

YOGA E MEDITAÇÃO NO AUXÍLIO DO TRATAMENTO DA OBESIDADE - SALLET

Conteúdo escrito com base na live com a Dra. Margaretth Arruda e Adriana Muller
https://www.youtube.com/watch?v=4mO2pcmI6B8  

 

A palavra Yoga vem do sânscrito e é originária da raiz verbal “yuj”, que significa unir, integrar e totalizar. O desenvolvimento do yoga surgiu há mais de 5 mil anos, mas alguns pesquisadores acreditam que o nascimento da yoga pode ter acontecido há 10 mil anos.

A parte física que é desenvolvida na prática do yoga é apenas um pequeno pedaço de uma filosofia muito bem embasada. O yoga chegou no Brasil como uma técnica suave, para pessoas idosas, que trabalhavam principalmente exercícios de respiração. Ao longo do tempo, se modificou e hoje a prática é mais disseminada e muitas novas vertentes foram criadas para o fortalecimento do corpo físico. Entretanto, vale lembrar que o objetivo final e principal do yoga é o de acessar a alma, lugar onde o corpo físico, mental e espiritual se conectam. 

Yoga proporciona equilíbrio, flexibilidade e força. Benefícios esses que são psicofísicos, ou seja, atuam tanto no corpo quanto na mente e em atitudes do dia a dia. Os asanas (posturas com permanência do yoga) trabalham ativando as energias do corpo e ajudam a elevar a consciência sobre o corpo e mente para que seja possível entender a sua existência. 

 

“Pratico yoga para ser melhor para os outros e não melhor do que os outros”.

 

Essa frase do Professor Hermógenes deve ser sempre lembrada pois atualmente as imagens de famosos praticando yoga e postando fotos com super flexibilidade podem desencorajar novos praticantes. O que é mostrado nas mídias, muitas vezes, foca apenas no aspecto físico e não na amplitude de benefícios que a prática proporciona e que deve ser trabalhada. 

 

Não existe restrição para a prática do yoga, que trabalha sempre a partir do próprio corpo. Por isso, cada um tem seu próprio limite e consegue fazer tudo que é proposto desde que se tenha disposição para começar. Como a prática trabalha o autoconhecimento, há adaptações que podem e devem ser feitas para cada tipo de corpo, respeitando os limites individuais de cada ser. O yoga pode ajudar na reconstrução da autoimagem a partir do momento que desperta um autocuidado e uma conexão com o Seu Sagrado, direcionando o seu olhar para as coisas que você consegue fazer e não ao que não consegue.  

 

PRINCIPAIS BENEFÍCIOS FÍSICOS DA PRÁTICA

– Fortalece a musculatura abdominal o que auxilia na melhora da postura. 

– O posicionamento correto dos ombros otimiza a respiração.

– Ativa as articulações e musculaturas. 

– Melhora a qualidade do sono pois libera os hormônios serotonina e melatonina, que são neurotransmissores mensageiros do cérebro que ajudam na regulação dos ciclos de sono e humor. 

O yoga é uma prática mental e física inclusiva que possibilita evolução e constância para quaisquer biotipos. Geralmente, pessoas obesas não conseguem manter frequência de exercícios físicos porque se sentem envergonhados, não gostam dos olhares voltados a seus corpos em ambientes de academias formais. Um dos benefícios do yoga é o despertar do “olhar para dentro antes de olhar para o corpo físico’’. Seu estado mental elevado é que proporcionará disposição para a prática corporal. O yoga trabalha a não competição, a não comparação. É um crescimento e desenvolvimento sempre seu com você mesmo.  Define-se metas e processos, mas num âmbito subjetivo, onde você define onde e quando quer chegar. 

 

O QUE É MEDITAÇÃO? 

De forma generalista, a meditação pode ser definida como uma prática na qual o indivíduo utiliza técnicas para focar sua mente num objeto, pensamento ou atividade em particular, visando alcançar um estado de clareza mental e emocional.

É praticamente impossível praticar yoga sem praticar meditação. Uma atividade é consequência da outra. Yoga é um movimento interno e não externo. E acontece quando estamos concentrados no aqui e agora. Se pensarmos bem, enquanto você está na aula de yoga com um professor te orientando, você está praticando 50% pois ainda não está conectado 100% com o seu eu, você ainda está em contato com o mundo externo. Quando estamos conectados isoladamente com nosso interior é quando praticamos yoga de verdade. Estar presente é meditação (primeira etapa, existem vários níveis meditativos que podem ser alcançados com o decorrer da prática). 

A meditação não está relacionada a nenhum tipo de prática religiosa, mas anda junto.  Quando você reza, seja qual for sua religião, você se encontra num momento meditativo pois volta todos os seus pensamentos para o momento presente, com um único desejo de realização. 

 

CONTROLE DO FLUXO DOS PENSAMENTOS

Ter controle do fluxo dos pensamentos é mais uma “técnica” de meditação. Existem exercícios que podem ajudar a ter controle sobre a natureza e a velocidade do pensamento. 

Por exemplo: quando estamos no trabalho, devemos concentrar nosso conteúdo mental no que é de fato assunto do trabalho e filtrar os pensamentos que ficam ou não na mente. A respiração profunda pode ajudar neste processo de ‘separação’ de assuntos. Quando chegamos em casa para ficar com os filhos é importante que ‘varramos’ os pensamentos do trabalho para conseguir estarmos inteiros no presente e conseguir fazer as atividades de casa com mais concentração, com mais presença. Conseguir processar um assunto por vez é o que a meditação ajuda a controlarmos. 

A consciência é composta pela mente + inteligência + ego (aquilo com quem eu me identifico como pessoa). A mente é como se fosse um porteiro que pode captar os sentidos, que recebe os sentimentos e diz se gostamos ou não de algo, se queremos ou não deixá-los entrar. E essa ‘portaria’ terá dias em que deixará o medo ou coragem entrar, a tristeza ou alegria. Todos são bem-vindos, mas tudo depende de como você receberá ‘’estas visitas’’.

A consciência nos ajuda a observar os pensamentos. Os pensamentos se formam em 4 processos: 1 aprendendo; 2 se iludindo; 3 imaginando e 4 lembrando. Todas as ações que fazemos passam por um ou todos estes quatro processos. Por exemplo: quando você está tendo uma projeção do seu futuro, seus pensamentos estão no processo imaginativo, pois os projetos podem ou não acontecerem. E esse pensamento é uma projeção que pode ou não estar bem embasada: você apresenta o pensamento ao raciocínio para ver se faz algum sentido. E então a memória é acionada (para saber se faz sentido!) acionando, assim, o processo de lembrança e captando momentos anteriores em que essa situação já tenha acontecido. E a partir daí, você tem um estímulo para agir.

Às vezes, nossa mente não consegue processar a informação da forma correta. Então, ela trava e você age de forma inconsciente para suprir essa ‘falha’ da mente. O seu cérebro, para não ficar parado, manda um estímulo para você agir de forma incoerente com a situação, apenas para sanar rapidamente esse travamento. Então você, por exemplo, come ao invés de raciocinar de novo. Precisamos entender como nossa consciência funciona e nos perceber, para sabermos o real motivo de querer comer naquela hora. 

COMPULSÃO ALIMENTAR E A PRÁTICA DE MEDITAÇÃO 

Dentro do estudo da yoga temos 3 pilares:  disciplina, autoanálise e rendição ao divino.

  • Disciplina: sem disciplina não trilhamos caminho nenhum. É preciso ter controle sobre nós mesmos para conseguirmos nos tornar livres. Meta te dá potência.
  • Autoanálise: para te dar a direção, diretrizes da filosofia que você decidiu seguir.
  • Entrega a seu Divino: estar conectado com o seu verdadeiro ser, o que há de mais bonito na sua essência, se tornar uma pessoa íntegra e com coração puro. 

Conhecimento é diferente de realização. Para que os benefícios da prática se tornem efetivos é necessário que além dos estudos teóricos, se coloque em prática aquilo que se está estudando, pois só assim fará sentido. Conhecimento só é validado quando o seu ser integral (corpo, mente e alma) estiver apropriado daquilo.

 

As funções da consciência ajudam no processo do desencadear da ansiedade. Em todas as fases da cirurgia bariátrica é importante trabalhar a meditação. Quando temos consciência do porquê fazemos uma coisa ou outra, descobrimos o real motivo das nossas ações e começamos a nos transformar. Usamos a inteligência e a lógica, e então, temos controle sobre as atitudes. 

A autorresponsabilidade é muito importante neste momento pois a transformação só acontece quando você toma toda a responsabilidade para você e sobre você mesmo. Não existe “eu comi porque me deram”. Existe “eu comi porque eu quis” ou “eu comi porque não consegui recusar”. Tomada de consciência vem de dentro pra fora e você presta mais atenção nas suas atitudes quando se responsabiliza pelas ações. Se perceber é o caminho para uma mudança consciente de comportamentos. 

Como tudo que desejamos na vida, a prática deve ser constante e com entrega. Vá aos poucos conhecendo os caminhos e possibilidades que o yoga oferece, esteja em contato com pessoas praticantes, escute e observe os benefícios e traga para você aquilo que acredita que irá te fazer bem.

 

CONVERSE COM NOSSA EQUIPE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *