Saiba mais sobre a Síndrome de Dumping

Procedimentos como a cirurgia bariátrica são capazes de transformar a vida dos pacientes. Eles ajudam a melhorar a confiança, a autoestima, a saúde, entre outros aspectos importantes. No entanto, é preciso saber que eles podem também apresentar alguns efeitos colaterais. Entre eles, está a Síndrome de Dumping.

Neste artigo, compreenda melhor essa condição, porque ela ocorre e como lidar com um quadro de Síndrome de Dumping. Acompanhe a seguir.

O que é e quais são as causas da Síndrome de Dumping?

A Síndrome de Dumping, também conhecida como esvaziamento gástrico rápido, é caracterizada pela passagem rápida dos alimentos gordurosos ou bastante açucarados entre o estômago e o intestino.

Ela pode manifestar-se em pacientes que passaram por cirurgia metabólica ou bariátrica, em decorrência da mudança anatômica de seu estômago. Entretanto, ela não ocorre em todos os casos. Portanto, não é uma regra geral que quem realizou tais procedimentos será acometido pela Síndrome de Dumping.

Quais são os principais sintomas dessa condição?

As manifestações acontecem depois do consumo de itens como óleos vegetais, doces, carnes gordurosas, entre outros. 

Seus principais sintomas incluem:

  • Cefaleia;
  • Taquicardia;
  • Cólica;
  • Visão turva;
  • Suor excessivo;
  • Tontura;
  • Sensação de fraqueza e desânimo;
  • Queda da pressão arterial;
  • Tremores;
  • Náuseas e diarreia;
  • Desmaio (em alguns casos).

Esses sintomas podem ocorrer logo após a refeição ou até três horas posteriores à ingestão de alimentos. 

Há como evitar esse problema?

Antes de fazer a cirurgia, o paciente não tem como saber se irá apresentar a Síndrome de Dumping. Esse conhecimento se dará apenas após o procedimento, por meio da verificação prática de sua eventual sensibilidade quando ingerir alimentos com grandes concentrações de gordura ou carboidratos refinados. Desse modo, como ação preventiva para esse e outros problemas, está seguir à risca as orientações e a dieta recebida no pós-cirurgia.

Outra informação importante é que essa doença não apresenta cura. Portanto, ao desenvolvê-la, será preciso aprender a conviver com ela, evitando a manifestação de seus sintomas. A boa notícia é que isso não é difícil.

A principal recomendação é manter o acompanhamento médico transdisciplinar pós-cirurgia, a fim de detectar problemas como esse e obter a melhor estratégia para tratar seus sintomas.

Ainda, evitar alimentos gordurosos ou doces e aumentar o consumo de proteínas também é uma tática viável – e que apresenta o benefício adicional de ajudar a manter o peso e a saúde em dia. 

Outras ações que podem ser recomendadas pelo médico são fracionar as refeições em menores volumes e em mais vezes ao dia, fazer suplementação de módulos de fibras, evitar a ingestão de líquidos enquanto come, mastigar bem os alimentos, entre outras. 

E então, ficou mais claro para você o que é e como lidar com a Síndrome de Dumping? Para saber mais sobre temas importantes sobre saúde, bem-estar e procedimentos cirúrgicos, continue acompanhando nosso blog. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *