Os principais cuidados depois de realizar a cirurgia bariátrica

Os principais cuidados depois de realizar a cirurgia bariátrica

Há diversas possibilidades seguras e eficientes para se realizar a cirurgia bariátrica. No entanto, engana-se quem pensa que após submeter-se à cirurgia bariátrica é possível voltar ao mesmo estilo de vida e hábitos que se tinha antes. Pode-se afirmar que existe uma vida antes e depois da cirurgia bariátrica, só assim é possível manter ou evoluir os ganhos obtidos por meio do procedimento.

Também é importante saber que, ainda que o processo de recuperação possa durar até seis meses, os hábitos mantidos nesse período devem ser levados criteriosamente para o resto da vida.

Desse modo, para o período pós-cirurgia bariátrica, a primeira grande dica e talvez a mais importante é: o paciente deve compreender que o sucesso da cirurgia está em suas mãos. Para isso, de modo geral, é preciso se preocupar com cuidados como:

  • Curativos

Dar atenção a todos os detalhes recomendados por seu médico irá fazer total diferença em seu processo de recuperação e nos resultados alcançados. Por isso, comece cuidando do seu curativo.

O médico vai lhe fornecer todas as instruções sobre os cuidados e a retirada dos pontos. Mas, entre os principais pontos de atenção, é preciso destacar que você não deve molhar o curativo, assim, haverá menos chances de a cicatriz ficar úmida e infeccionar. Utilizar um creme hidratante na região também é indicado, desde que o produto seja recomendado pelo seu médico.

  • Possíveis dores e incômodos

Independentemente do procedimento escolhido, trata-se de uma cirurgia invasiva e que exige muitos cuidados. É comum que, nos primeiros dias ou até no decorrer do primeiro mês, o paciente sinta algumas dores e incômodos.

Sintomas como dores no abdômen, náuseas, vômitos e diarreias podem surgir. Para combatê-los, a sua equipe transdisciplinar indicará medidas como analgésicos, faixa abdominal e outros recursos.

No entanto, é preciso se atentar e buscar ajuda profissional em determinados casos, tais como: quando o paciente vomitar em todas as refeições, mesmo comendo corretamente; quando não conseguir ingerir nenhum tipo de alimento; se apresentar febre superior a 38º; se tiver curativo infeccionado; se apresentar dores que não passam com remédios; quando houver problemas no intestino após duas semanas de cirurgia e outras situações consideradas anormais.

  • Dieta balanceada

É aqui que tudo se transforma! Após a cirurgia, o estômago fica extremamente sensível, isso explica o motivo de, nos primeiros dias, o paciente se alimentar apenas com soro. Passado esse período, alimentos líquidos, em pequenas quantidades, são acrescentados na dieta. Os alimentos sólidos são indicados para depois de um mês, ainda assim, deve-se priorizar uma dieta balanceada.

A dieta deve ser acompanhada por um nutricionista que indicará quais alimentos podem ou não ser consumidos, levando em consideração seu valor calórico e a absorção necessária de nutrientes.

Entre eles, estão: carnes, sem pele e sem gordura; frango, sem pele e sem gordura; frutas; legumes cozidos; peixes, sem pele e sem gordura e verduras refogadas.

  • Exercícios físicos e demais atividades

No primeiro dia, o paciente deve ficar em repouso. Após uma semana, já é possível voltar a realizar tarefas comuns – como se locomover entre os cômodos da casa, subir escadas, etc. Na segunda ou terceira semana, atividades como caminhar, dirigir e voltar ao trabalho já costumam ser liberadas.

Nesse contexto, os exercícios físicos devem ser introduzidos gradualmente na rotina. Após a cirurgia, eles são essenciais no processo de emagrecimento, no controle da ansiedade e de estresse. Além disso, a atividade física contribui para ganho de força, equilíbrio, flexibilidade, agilidade, resistência e condicionamento físico, beneficiando ainda mais os resultados a serem obtidos.

Você já conhece todas as técnicas para realização da Cirurgia Bariátrica? Confira em nosso Ebook como a Cirurgia Bariátrica evoluiu e como as técnicas se tornaram mais seguras e menos invasivas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *