Entenda a relação entre obesidade e apneia do sono

Entenda a relação entre obesidade e apneia do sono

Se para você obesidade e apneia do sono são coisas distintas, saiba que, na verdade, os dois problemas podem sim ter uma ligação bem significativa.

A apneia do sono não é apenas um distúrbio que causa roncos altos, como muitas pessoas pensam – a doença pode trazer várias consequências. E um dos fatores de risco para desenvolvê-la é a obesidade. Para compreender melhor essa relação entre obesidade e apneia do sono, leia o artigo a seguir!

Entenda mais sobre a apneia do sono

Considerado um dos principais distúrbios do sono, a apneia atinge mais de 10% da população acima de 65 anos, sendo a maioria desse público formada por homens. Crianças são a minoria, entre 1 e 3% dos casos.

A apneia do sono é caracterizada por sons e interrupções repetitivas na respiração, reduzindo o fluxo de ar. O tempo dessas pausas respiratórias varia entre as pessoas, podendo durar até alguns minutos.

Essas interrupções causam queda da oxigenação e fragmentação do sono, o que prejudica a produção de hormônios, contribuindo para a resistência à insulina e elevando a pressão arterial.

Essas condições abrem as portas para o surgimento de várias doenças, entre elas, diabetes tipo 2, arritmia cardíaca e até obesidade.

Entre os principais sintomas da apneia do sono, pode-se destacar: ronco alto, respiração ofegante, sono conturbado, sensação ou sufocamento ao dormir, cansaço durante o dia, dificuldade para se concentrar, dor de cabeça matinal e outras manifestações.

Relação entre obesidade e apneia do sono

O excesso de peso é um dos principais desencadeadores da apneia do sono. Para se ter ideia de quanto os riscos estão associados, de 70 a 80% dos obesos desenvolvem a doença.

Isso acontece devido à gordura acumulada no pescoço (que reduz o diâmetro da faringe) e no tórax, fazendo com que a pessoa tenha mais dificuldade para respirar.

Um ciclo vicioso foi formado ao analisar estudos recentes que mostram que a apneia do sono também pode favorecer a obesidade, já que ela influencia no metabolismo lipídico, em nível hormonal e expressão gênica, contribuindo para o indivíduo acumular gordura.

A importância de buscar um bom tratamento para obesidade e apneia do sono

O diagnóstico da apneia é constatado a partir do exame de polissonografia, que avalia atividade cerebral, movimento dos olhos, pernas, abdome, tórax, pressão, fluxo de ar no nariz, pressão e bruxismo.

O tratamento de casos moderados e graves, geralmente, consiste em uma máscara ajustada no rosto do paciente que realizada pressão positiva contínua nas vias aéreas, permitindo a abertura das vias e, consequentemente, a passagem do fluxo de ar.

Já os casos leves de apneia associados a um ganho de peso podem ser resolvidos com a mudança de hábitos, como alimentação saudável e exercícios físicos.

Pacientes com obesidade e apneia do sono que são submetidos à cirurgia bariátrica são indicados a iniciar o tratamento antes da cirurgia, para que assim os riscos sejam ainda menores. O procedimento cirúrgico, além de contribuir para perda de peso, também diminui o risco de doenças associadas como pressão alta e a própria apneia do sono.

Gostou deste conteúdo? Para conferir outras dicas como essas, siga acompanhando nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *