Como a obesidade interfere na fertilidade

Como a obesidade interfere na fertilidade

A obesidade está relacionada a uma série de problemas de saúde. O excesso de peso acaba gerando uma sobrecarga em nosso organismo e, com isso, patologias e problemas diversos são desencadeados. Entre eles, está o comprometimento da capacidade reprodutiva de homens e mulheres que, em última instância, pode levar à sua infertilidade. 

No artigo de hoje, descubra mais sobre como a obesidade e a infertilidade estão associadas e sobre as opções de tratamento para o excesso de peso. Acompanhe a seguir.

Qual é a relação entre a obesidade e a fertilidade?

A obesidade é um dos fatores que impactam negativamente nos projetos de gestação por estar associada a um aumento nos casos de infertilidade.

De acordo com dados da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, mulheres em idade reprodutiva que sofrem de obesidade apresentam três vezes mais possibilidades de terem infertilidade anovulatória do que aquelas que estão dentro do peso recomendado. Além disso, a obesidade também prejudica o sucesso nos processos de reprodução assistida.

Essa relação entre obesidade e infertilidade ainda não tem seus detalhes totalmente conhecidos. No entanto, já se sabe que, entre outras coisas, o excesso de ácidos graxos livres pode ocasionar um efeito tóxico nos tecidos reprodutivos, o que acarreta dano celular, no armazenamento de gordura até mesmo nos óvulos, prejudicando sua qualidade, entre outros problemas, além de prejudicar o embrião. 

Ainda, com o excesso de gordura, nosso corpo produz adipocinas, substâncias que afetam a comunicação entre células do organismo que, com isso, pode passar a não conseguir executar adequadamente suas funções. Tal efeito nocivo pode ocorrer nas áreas do cérebro que realizam o controle do ciclo ovulatório. 

No caso da infertilidade masculina, a obesidade faz parte do grupo de problemas que podem ser estimulados por maus hábitos e estilo de vida e que diminuem a qualidade e a contagem dos espermatozóides. Além disso, o excesso de peso pode modificar os perfis hormonais do homem e elevar a temperatura escrotal, fatores que podem prejudicar a concretização do sonho de ter um filho.

Outro problema é que, em homens e mulheres com obesidade, a resistência à insulina pode gerar o desequilíbrio de sua saúde reprodutiva. 

Tratamentos contra a obesidade

Para pessoas que querem ter filhos, é muito importante, entre outras ações, realizar um controle de peso. Há diversas opções para isso, e elas deverão ser recomendadas por um especialista, de acordo com as necessidades e o quadro de cada paciente. 

Entre os caminhos possíveis para isso, estão:

Tratamento clínico

Nessa abordagem, a mudança de hábitos é a base para o sucesso. Isso abrange alimentação equilibrada, prática regular de exercícios físicos e, por vezes, acompanhamento psicológico para lidar com gatilhos como a compulsão alimentar. 

Esse tipo de tratamento é conduzido por uma equipe transdisciplinar, formada por especialistas da psicologia, da nutrição, da endocrinologia, da educação física, entre outros. 

Tratamento cirúrgico

Para os casos de insucesso com o tratamento clínico, o tratamento cirúrgico pode ser o caminho para combater a obesidade. 

No entanto, apenas pessoas com IMC (Índice de Massa Corpórea) superior a 40 kg/m2 ou quem apresenta IMC superior a 35 kg/m2 e patologias agravadas pela obesidade podem ser elegíveis para a cirurgia bariátrica. 

É importante ressaltar que, mesmo que se realize o tratamento cirúrgico, as mudanças de hábitos deverão fazer parte da vida pós-bariátrica. 

Para saber mais sobre a obesidade e suas formas de tratamento, continue acompanhando nosso blog! Até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *