Cirurgia revisional: É possível converter uma cirurgia bariátrica?

Embora raras, há situações nas quais um procedimento bariátrico não alcança os resultados esperados ou mesmo promove efeitos indesejados no paciente. Saiba em quais circunstâncias as cirurgias bariátricas revisionais são indicadas.

A cirurgia bariátrica é um termo utilizado para denominar um grupo de diferentes de procedimentos realizados no sistema digestório que ajudam o paciente obeso a perder peso de forma significativa com intuito de melhorar seu estado geral de saúde. Em pouquíssimos casos, a cirurgia pode não alcançar os resultados desejados, seja por não promover a perda de peso esperada ou mesmo causar reações adversas no paciente. Dependendo da situação e a partir de uma análise extremamente criteriosa, a equipe transdisciplinar responsável pelo paciente poderá sugerir uma cirurgia bariátrica revisional.

Embora a imensa maioria das cirurgias bariátricas tenha resultados positivos e promova perda de peso significativa, alguns pacientes podem sofrer efeitos indesejados no pós-cirúrgico, ou ainda, voltar a ganhar peso por deixarem de seguir as recomendações da equipe transdisciplinar ou em razão de algum possível problema anatômico na cirurgia.

Se você fez uma cirurgia bariátrica recentemente ou está avaliando as alternativas de tratamento contra a obesidade, pode estar pensando se o procedimento é definitivo ou se pode ser revisto no futuro.

Cirurgia bariátrica: um procedimento seguro e eficiente

A cirurgia bariátrica é um procedimento que proporciona excelentes benefícios para os pacientes que sofrem de obesidade ou doenças metabólicas como diabetes ou hipertensão.

Na maioria dos casos, os resultados obtidos são bastante satisfatórios e promovem uma perda superior a 70% do peso original. Com a redução do excesso de peso, pacientes bariátricos apresentam remissão de comorbidades, tais como o diabetes mellitus tipo 2, a hipertensão arterial, a apneia do sono e doenças osteoarticulares, melhorando de maneira integral seu estado de saúde.

Entretanto, há um pequeno número de casos nos quais o procedimento não resolve todos os problemas primários. Estima-se que entre 10% e 20% dos pacientes tenham reganho de peso após dez anos de cirurgia.

As causas para isso são multifatoriais e envolvem o retorno aos maus hábitos alimentares pós-bariátrica, sedentarismo e falta de acompanhamento do tratamento. Há, ainda, situações em que o paciente apresenta agravamento da doença do refluxo gastroesofágico devido à perda dos mecanismos anti refluxo causados pela remoção de parte do estômago.

Importante destacar que essas ocorrências correspondem a um percentual muito baixo sobre o total de procedimentos bariátricos bem-sucedidos. Especialmente quando cogita-se a bariátrica revisional por problemas relacionados ao procedimento cirúrgico em si. Apesar de incomum, quando identificados, demandam intervenção de emergência.

Quando é possível converter uma cirurgia bariátrica?

Como vimos, há situações nas quais a cirurgia revisional pode ser cogitada. Entretanto, é preciso ter em mente que não é qualquer tipo de procedimento que poderá ser convertido.

O balão intragástrico, procedimento minimamente invasivo e sem cirurgia, no qual é introduzida uma prótese inflável no estômago do paciente, que ocupa parte do volume do órgão e promove sensação de saciedade – é um procedimento temporário e transitório (em torno de 6 meses) totalmente reversível.

A gastrectomia vertical ou sleeve gástrico é um procedimento cirúrgico, realizado por via laparoscópica, no qual é removida parte do estômago, mas que pode ser transformada em qualquer outra técnica bariátrica regulamentada no país.

A gastroplastia endoscópica, procedimento que não deixa cicatrizes externas, promove a diminuição do volume do estômago por meio de suturas na parede interna do órgão e também pode ser revertida, embora sua realização demande indicação médica específica.

Já no caso do bypass gástrico, a cirurgia revisional exige um maior nível de complexidade, demanda de uma investigação criteriosa e recomendação ainda mais precisa. Deve-se levar em conta o benefício da bariátrica revisional, frente ao risco cirúrgico para o paciente.

Afinal, quando a cirurgia bariátrica revisional é indicada?

É válido salientar que a cirurgia bariátrica revisional será indicada apenas para casos e situações bastante específicas, nas quais uma nova intervenção cirúrgica seja a última alternativa frente aos tratamentos clínicos convencionais.

Quando há recidiva significativa de peso ou reaparecimento de alguma comorbidade, o paciente deverá procurar o apoio da sua equipe transdisciplinar a fim de identificar os motivos que o levaram ao quadro.

A equipe transdisciplinar acolherá o paciente e fará as devidas avaliações sobre os motivos do ganho de peso ou mesmo sobre os efeitos indesejados da cirurgia. Ainda, irá analisar o procedimento primário de modo a ser possível eliminar problemas anatômicos da cirurgia realizada e indicará o tratamento mais adequado.

A partir do diagnóstico definido, e em situações bastante específicas que envolvem desnutrição ou grave déficit nutricional, agravamento da doença do refluxo gastroesofágico severa, oclusões intestinais ou, ainda, reganho excessivo de peso, a cirurgia revisional poderá ser recomendada.

Você fez uma bariátrica e está preocupada com o reganho de peso? Agende uma consulta com nossos especialistas e esclareça todas as suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *