Cirurgia metabólica: Mitos e verdades sobre o procedimento

Cirurgia metabólica: Mitos e verdades sobre o procedimento | Sallet

Você já ouviu falar em cirurgia metabólica? O assunto ainda é bastante discutido e causa muitas dúvidas. De fato, há diversas curiosidades, mitos e verdades em torno do procedimento. 

Pensando nisso, neste artigo, iremos falar mais sobre como funciona a cirurgia metabólica e esclareceremos o que é mito e o que é verdade em relação a esse tema. Acompanhe a seguir.

O que é e como funciona a cirurgia metabólica?

O número de diabéticos no Brasil e no mundo só cresce. De acordo com uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde, 1 a cada 11 pessoas têm diabetes. Neste cenário, diabetes já é considerada uma pandemia entre as doenças não infecciosas.

A condição se divide em duas categorias: a primeira, diabetes tipo 1, é relacionada ao sistema autoimune. Ela ocorre quando as células responsáveis pela defesa do organismo atacam outras, capazes de sintetizar a insulina.

Já a segunda categoria, diabetes tipo 2, acontece quando há um déficit metabólico de produção de insulina e de resistência à ação dela a nível celular, fazendo com que ela não seja utilizada da forma correta, acumulando-se e no sangue e se espalhando para os órgãos.

É importante saber que existe uma relação direta entre esse segundo tipo de diabetes e a obesidade. Quando os tratamentos convencionais não resolvem ou amenizam o quadro, é indicada a cirurgia metabólica.

A cirurgia metabólica é definida como uma cirurgia do trato gastrintestinal com intenção de tratar diabetes e, consequentemente, a obesidade. Nesse procedimento, o paciente passa por uma transformação endócrina, com alterações na síntese de hormônios responsáveis pelos níveis de açúcar no sangue.

Mitos e verdades sobre cirurgia metabólica

A seguir, tire outras dúvidas importantes sobre esse procedimento.

1. Cirurgia bariátrica e metabólica é a mesma coisa?

Alguns procedimentos são realizados com a mesma técnica cirúrgica, o bypass gástrico. Entretanto, apesar de parecidas, elas possuem objetivos diferentes. O foco da cirurgia bariátrica é a perda de peso, enquanto o da metabólica é o controle do diabetes, o que, em segundo plano, também contribui para o emagrecimento, a mudança do estilo de vida e a melhor alimentação do paciente.

2. A cirurgia metabólica é liberada no Brasil?

Sim. Durante alguns anos, a cirurgia metabólica foi realizada como um tratamento alternativo experimental. Mas, em dezembro de 2017, o Conselho Federal de Medicina passou a reconhecer a cirurgia metabólica como um tratamento eficiente para diabetes tipo 2.

3. Qualquer pessoa acima do peso consegue realizar o procedimento?

Não. Para realizar a cirurgia metabólica, é preciso seguir alguns critérios:

  • Ter diabetes miellitus tipo 2 e ter IMC entre 30 kg/m² e 34,9 kg/m².
  • Ter mais de 30 anos e no máximo 70 anos.
  • Ter diabetes miellitus tipo 2 há menos de 10 anos.
  • É necessário comprovar que o paciente já tentou outros tratamentos e não obteve sucesso.
  • O paciente não pode ter outras contraindicações para a cirurgia.

4. A cirurgia metabólica cura o diabetes?

A cirurgia metabólica é o único tratamento, até o momento, capaz de produzir remissão do diabetes tipo 2. Para se ter ideia, 90% dos pacientes operados apresentam remissão do diabetes durante 10 a 15 anos de pós-operatório, contra 5% dos não operados que seguem programas conservadores de controle da doença.

Entretanto, não é certo dizer que a cirurgia, sem mudanças de hábitos e outros fatores, pode curar sozinha a doença.

5. A cirurgia beneficia no controle de outras doenças?

Sim, é verdade. Apesar de o foco ser o controle do diabetes, a cirurgia pode trazer outros benefícios para a saúde do paciente. Como é o caso da redução e do controle de peso, queda nos níveis de colesterol ruim e aumento do colesterol bom, controle da apneia do sono e, ainda, melhora na hipertensão arterial.

Quer saber mais sobre o assunto? Baixe gratuitamente nosso e-book sobre doenças metabólicas e possíveis tratamentos e esclareça todas as suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *