Cirurgia do diabetes: Técnicas indicadas

Cirurgia do diabetes: Técnicas indicadas - Instituto de Medicina Sallet

O diabetes já é considerado uma pandemia entre as doenças não infecciosas. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de uma em cada 11 pessoas no mundo tem a doença. Por isso, cada vez mais tem se falado sobre tratamentos e métodos de controle, como é o caso da cirurgia do diabetes.

Neste artigo, descubra mais sobre a patologia e o procedimento cirúrgico indicado para seu tratamento. Acompanhe a seguir. 

Saiba mais sobre o diabetes tipo 2

O diabetes tipo 2 apresenta alta prevalência, correspondendo à maioria dos casos da doença. Sua manifestação está associada diretamente aos hábitos diários do paciente, tais como alimentação inadequada e sedentarismo.

A doença, assim como o diabetes tipo 1, é caracterizada pelo acúmulo de açúcar no sangue. No entanto, nesse caso, a insulina é produzida, por vezes, insuficientemente, mas o corpo não consegue metabolizá-la.

Como compensação, o pâncreas acelera a produção de insulina, mas essa sobrecarga faz com que o órgão fique “exausto” e as células comecem a falhar. A partir de então, o nível de açúcar dispara ficando permanentemente elevado.

Entre os principais fatores de risco para o diabetes tipo 2, destacam-se:

  • Pessoas acima de 45 anos.
  • Obesidade e sobrepeso.
  • Diabetes gestacional anterior.
  • Histórico familiar de diabetes tipo 2.
  • Sedentarismo.
  • Baixos níveis de colesterol HDL.
  • Triglicerídeos elevados.
  • Hipertensão.
  • Consumo excessivo de álcool.

Controle da patologia e cirurgia do diabetes

Entre os principais cuidados para controlar o diabetes tipo 2 estão: praticar exercícios físicos, adotar dieta balanceada, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e tabaco, cuidar das comorbidades ou, ainda, realizar a cirurgia do diabetes.

A cirurgia do diabetes, ou cirurgia metabólica, é uma variação da bariátrica, que tem como foco tratar o diabetes tipo 2 e outros problemas relacionados como obesidade, hipertensão, colesterol e triglicérides elevados.

Essa cirurgia do diabetes pode ser realizada por meio das técnicas cirúrgicas bariátricas já estabelecidas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) e pela Federação Internacional de Cirurgia da Obesidade (IFSO).

No entanto, o principal método utilizado no Brasil e no mundo é o Bypass Gástrico, o mesmo usado no tratamento da obesidade mórbida. É importante salientar que a cirurgia do diabetes é considerada segura, realizada por videolaparoscopia, com pequenas incisões.

Esse processo é consagrado mundialmente devido aos resultados positivos. Para se ter ideia, 90% dos pacientes operados apresentam remissão do diabetes durante 10 e 15 anos de pós-operatório. Além disso, diversos estudos epidemiológicos mostram diminuição de até 92% da mortalidade relacionada ao diabetes.

Para ser elegível para a cirurgia do diabetes, é necessário se encaixar nos seguintes padrões:

  • Ter diabetes tipo 2 e ter IMC entre 30 kg/m² e 34,9 kg/m².
  • Ter mais de 30 anos e no máximo 70 anos.
  • Ter diabetes tipo 2 há menos de 10 anos.
  • Ter comprovação de que outros tratamentos já foram realizados, mas não foram suficientes.
  • Não ter outras contraindicações para a cirurgia.

E então, ficou mais claro para você o que é a cirurgia do diabetes? Que tal agora descobrir mais sobre a cirurgia bariátrica? Para isso, confira o artigo que preparamos sobre a evolução da cirurgia bariátrica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *