Cirurgia bariátrica, nutrição e vegetarianismo

Cirurgia bariátrica, nutrição e vegetarianismo - Sallet

O Instituto de Medicina Sallet realiza cirurgia bariátrica e metabólica com título de excelência nesta especialidade há 21 anos.  Nosso propósito é promover maior qualidade de vida aos nossos pacientes através da melhora ou remissão de comorbidades associadas à obesidade, redução da morbimortalidade e promoção, através de uma abordagem transdisciplinar, de mudanças de comportamento propostas em pré, peri e pós-operatório.

Cada paciente bariátrico acaba traçando um caminho individual e único quando se trata de redescobrir e reconstruir sua relação com a alimentação e seu corpo. Infelizmente, muitos pacientes não priorizam alimentos fonte de proteína em suas refeições. Seja pela maior dificuldade de mastigação, principalmente as carnes, ou pela saciedade que esse macronutriente produz. Outros excluem leite e derivados (também boas fontes de proteína) pela intolerância à lactose que pode ocorrer no pós-operatório. Essas restrições alimentares promovem inadequação de ingestão proteica que pode causar perda excessiva de massa magra, queda de cabelo acentuada, enfraquecimento de unhas e redução da imunidade.

As deficiências nutricionais são um problema comum em pacientes pós-operados independentemente da dieta que sigam, devido a redução da capacidade gástrica e a disabsorção dependendo da técnica cirúrgica. Os cuidados nutricionais para esses pacientes são bem específicos para cada período de pós-operatório e o nutricionista é quem deverá prestar toda a orientação necessária para a evolução de consistências alimentares (dieta líquida pós-operatória, sua evolução para a pastosa e, por fim, sua transição definitiva para a alimentação normal) e cuidar das suplementações nutricionais necessárias.

Os principais cuidados nutricionais devem ser com o consumo adequado de:

Proteínas

Segundo as recomendações atuais para pacientes submetidos a cirurgia bariátrica, a ingestão de proteínas deve ser de 60 a 120g por dia, sendo indispensável a priorização de proteínas de alto valor biológico (proteínas completas que contém todos os aminoácidos essenciais em quantidades e proporções ideais para atender às necessidades orgânicas). Para atingirmos esta recomendação é necessário fazer uso de suplementos proteicos, pois a ingestão proteica através da alimentação é insuficiente nos primeiros seis meses de pós-operatório. Para pacientes vegetarianos, sugerimos a ingestão de duas opções de leguminosas (feijão, soja, grão de bico, ervilha e lentilha), dois ovos por dia e uma porção de leite ou derivados, três ou mais vezes por dia.

A suplementação com proteínas isoladas também deve ser feita e é uma ótima ferramenta para atingir a recomendação de proteína em pacientes vegetarianos, tendo em vista que os alimentos ricos em proteínas de origem vegetal têm mais fibras e podem ocupar um volume maior no estômago, principalmente nas primeiras fases, quando o volume aceito de comida é bem reduzido. As proteínas isoladas de origem vegetal mais comuns são de ervilha, arroz e soja. Elas são tão eficientes quanto as que normalmente são feitas a partir de leite de vaca, os famosos whey proteins.

Ainda sobre as proteínas, algumas pessoas manifestam um desconforto com o consumo de leguminosas, como sensação de estufamento e flatulências (gases). Isso pode ser evitado de forma bem simples, deixando os grãos de molho na água em temperatura ambiente por 12h, desprezando essa água e cozinhando os grãos em uma água nova.

Ferro, cálcio e zinco

Quanto aos minerais, o ferro é encontrado em alimentos como vegetais verde-escuros, leguminosas e também deve ser suplementado em casos de deficiência, que ocorre tanto em vegetarianos como onívoros, mas principalmente em mulheres em idade fértil, devido à perda de sangue pela menstruação. Uma dica para melhorar a absorção de ferro é combinar com o consumo de algum alimento rico em vitamina C, como o limão.

O cálcio está presente em boa quantidade e biodisponibilidade no tofu, brócolis, folhas verde-escuras, gergelim, amaranto e alimentos fortificados, como nas bebidas vegetais enriquecidas. A suplementação de citrato de cálcio associado à vitamina D3 é prescrita a partir do sexto mês de pós-operatório.

E, por último, o zinco é encontrado em alimentos integrais, portanto, orientamos aos nossos pacientes priorizar cereais integrais no desjejum e nas refeições principais. As sementes oleaginosas também são fonte de zinco, assim o consumo de uma porção de 10 a 15g deve ser diário. Fazemos a suplementação de zinco quelato 20mg – 1 cápsula 1 x ao dia, caso haja alteração nos exames laboratoriais.

Vitamina D e B12

A vitaminas D é suplementada através de doses diárias ou semanais dependendo da dosagem nos exames laboratoriais, aconselhamos exposição solar de 15 minutos diários.

A suplementação de vitamina B12 é intramuscular e mensal até o sexto mês pós-operatório; e bimestral ou trimestral a partir dessa fase para todos os pacientes, independente da ingestão de produtos de origem animal ou não.

Aos vegetarianos

É importante ressaltar que as proteínas de origem vegetal apresentam discreta redução na quantidade de nitrogênio quando comparadas às de origem animal. Sendo assim, os pacientes vegetarianos precisam de um acompanhamento nutricional ainda mais cuidadoso após a realização da cirurgia bariátrica.

Para os pacientes bariátricos vegetarianos ou veganos, sugerimos a ingestão de duas opções de leguminosas (feijão, soja, grão de bico, ervilha e lentilha), dois ovos por dia e uma porção de leite ou derivados, três ou mais vezes por dia. Além da suplementação proteica vegetal. As opções mais comuns no mercado são a proteína de soja, arroz ou ervilha.

O whey protein ou proteína do soro do leite, em comparação aos outros suplementos, é o de melhor absorção e promove maior saciedade. Possui maior teor de aminoácidos de cadeia ramificada (importantes para prevenir a degradação do tecido muscular). Ao atingirem o intestino delgado são rapidamente digeridas e seus aminoácidos absorvidos, estimulando a síntese de proteínas nos tecidos.

Sendo assim, nossos pacientes bariátricos são orientados a ingerir primordialmente suplementos proteicos a base de whey protein na dieta pré e pós-operatória. Caso haja preferência pelas proteínas vegetais aos pacientes vegetarianos ou veganos, a recomendação diária deve ser igual aos de pacientes onívoros, perfazendo uma suplementação proteica de aproximadamente 50g para as mulheres e 60g para os homens diariamente.

Embasados por uma prática clínica de mais de 20 anos atuando nesta especialidade, bem como por revisões constantes de literatura médica, podemos afirmar que pacientes bariátricos acompanhados por equipes transdisciplinares especializadas demonstram melhores resultados em médio e longo prazo, são mais conscientes do processo, mais autorresponsáveis e participativos. Compreendem claramente que ‘’bisturí’ é uma ferramenta forte e eficaz no tratamento da obesidade e doenças metabólicas, mas que precisa ser muito bem conduzida: por uma boa equipe e principalmente por um paciente disciplinado e bem preparado.

 

Dra. Esther Andretta
Nutricionista Clínica do Instituto de Medicina Sallet
Crn3: 3612

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *