Cirurgias Bariátricas: O que são, quais as indicações e quem realiza

Cirurgias Bariátricas: O que são, quais as indicações e quem realiza Instituto Sallet

A obesidade afeta muitas pessoas no mundo todo e atua como uma doença crônica. A prevalência crescente desta doença é considerada, em alguns países, como uma epidemia ligada à sociedade moderna. O impacto negativo deste problema afeta não somente o portador da doença, mas a sociedade de forma geral. A comunidade médica e os governos estão preocupadas com os índices cada vez mais crescentes de comorbidades (doenças relacionadas à obesidade)  que causam inúmeros gastos com atendimentos e muitas mortes. Diante disso, iniciativas visando a conscientização da sociedade, que incluem campanhas de reeducação alimentar e incentivo à prática de exercícios físicos, tornaram-se comuns na mídia. As pessoas estão cada vez mais informadas sobre os riscos da obesidade e, muitas vezes, buscam soluções extremas para este grande mal.

Hoje em dia é comum ouvirmos falar da indicação de cirurgia bariátrica para pessoas com sobrepeso patológico como alternativa para solução de alguns casos de obesidade. Mas será que as cirurgias bariátricas são indicadas para todos os casos? Se não, quais seriam esses casos de indicação cirúrgica? O procedimento é seguro ou oferece riscos? Quais são os profissionais da saúde que podem indicar a cirurgia bariátrica como uma solução contra a obesidade mórbida? Continue lendo até o final e compreenda a grande importância deste procedimento considerado invasivo e as suas contraindicações clínicas e psicológicas!

 

Quando surgiu a cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica surgiu em 1991 durante a Conferência de Desenvolvimento de Consenso realizada pelo NIHNational Institutes of Health. Quando surgiu, a cirurgia bariátrica era um procedimento indicado apenas para indivíduos com classificação de obesidade grau II ou III, com riscos de saúde consideráveis. A condição pré-mórbida dos pacientes, por natureza, acabava elevando os casos de óbito em mesas de cirurgia.

Os fatores de risco pré e pós-operatório passaram a ser fortemente considerados antes da aprovação do procedimento por vários profissionais. A indicação cirúrgica passou a ocorrer mediante avaliação nutricional, clínica, laboratorial e psiquiátrica.

A obesidade mórbida tem, na cirurgia bariátrica, a ferramenta mais eficaz diante dos tratamentos existentes. Porém, uma equipe multidisciplinar deve assumir um papel extremamente delicado antes e depois da realização do procedimento.

 

Cirurgias Bariátricas- O que são, quais as indicações e quem realiza Sallet

 

Profissionais envolvidos em uma cirurgia bariátrica

A equipe de profissionais envolvidos no tratamento da obesidade e doenças metabólicas conta com endocrinologista, cirurgião, psicólogo, psiquiatra, nutricionista e preparador físico. Além dos profissionais citados, o paciente precisa contar com a fundamental assistência de sua família e amigos antes e depois da cirurgia.

É importante ter ciência dos riscos e mudanças de hábitos relacionados a uma cirurgia que afeta boa parte do trato digestivo. Por ser uma cirurgia de grande porte, todos os pacientes deverão passar por avaliação cardiológica e apresentar um risco cirúrgico-anestésico compatível com o procedimento proposto. Alguns pacientes deverão, por vezes,realizar avaliações em outros profissionais a critério do cirurgião bariátrico (cirurgião vascular, pneumologista etc).

No pré-operatório, também ocorrem avaliações com nutricionistas – responsáveis pela preparação e adaptação da dieta do paciente a fim de melhorar o seu comportamento alimentar pré-cirurgia, corrigir carências nutricionais e estimular defesas do organismo que serão importantes para a recuperação cirúrgica – preparadores físicos – responsáveis por preparar o tônus muscular e melhorar a capacidade cardiovascular dos pacientes. A perda de massa muscular no pós-operatório é significativa e de difícil reposição. Os exercícios resistidos de fortalecimento como a musculação, pilates com aparelhos e ginástica localizada com pesos, são os mais indicados nessa fase. Psicólogos também são envolvidos no pré-operatório, pois analisam o histórico do paciente, identificam fatores psicossociais, transtornos psiquiátricos e clínicos de risco, suas motivações e conscientização para cirurgia.

Assim como no pré-operatório, após a realização da cirurgia bariátrica o paciente deve ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar de profissionais especialistas por um longo prazo. Esse processo envolve avaliações individuais e dinâmicas em grupo para a troca de experiências.

 

Onde são realizados os procedimentos de cirurgia bariátrica

Os procedimentos são realizados em hospital com total capacidade de atendimento ao paciente com obesidade mórbida: suporte de UTI se necessário, médico anestesista capacitado, total monitorização, equipe de enfermagem e fisioterapia treinada para o tratamento adequado do pós-operatório imediato.

As cirurgias são prioritariamente realizadas por laparoscopia com cerca de 5 ou 6 furinhos de 1,0-2,0 cm por onde entra uma câmera de vídeo (através de um dos furinhos) e os instrumentos que usamos para operar como grampeador, pinças, material de sutura, tesouras, etc (colocados nos outros furinhos restantes). A vantagem desta técnica está na recuperação mais rápida do paciente, menos complicações e dor pós-operatória, além de uma cicatriz cirúrgica mínima. Essa via de acesso é feita em quase 100% das cirurgias.

Raramente o cirurgião não consegue fazer toda a operação através da técnica laparoscópica (pacientes com muitas cirurgias prévias, por exemplo). Nesta situação pode ser necessário fazer um corte (converter a operação para a via aberta) para terminar a operação.

 

Tipos de cirurgias bariátricas

As operações usadas no tratamento da obesidade mórbida são também conhecidas como cirurgias bariátricas. Estes procedimentos reduzem o tamanho do estômago e/ou o comprimento do intestino, cujo objetivo é limitar a quantidade de comida que você pode ingerir e/ou absorver.

Por muito tempo nós dividimos os procedimentos apenas em restritivos, disabsortivos ou mistos como descritos abaixo:

Restritivos: são procedimentos que reduzem o tamanho do estômago. Mesmo que o paciente queira, ele não consegue ingerir uma grande quantidade de alimentos de uma única só vez, porque se tem a impressão que seu estômago está repleto (cheio). Exemplos: Banda Gástrica e o Sleeve (Gastrectomia Vertical).

Malabsortivos ou Disabsortivos: são operações que reduzem parcialmente o tamanho do estômago e reduzem o comprimento do intestino delgado, diminuindo a quantidade de alimento que o organismo (intestino) absorve. Este tipo de operação foi muito usada no passado, mas as complicações pós-operatórias fizeram com que estes procedimentos só sejam utilizados, atualmente, em casos excepcionais.

Mistos: são procedimentos que associam tanto a redução do tamanho do estômago como do comprimento do intestino delgado. Desta forma, ocorre tanto uma redução de quantidade de alimento que pode ser ingerida, como da quantidade de alimento que pode ser absorvida pelo organismo. São as gastroplastias de derivação intestinal como o Bypass Gástrico (Capella). Esse é o procedimento mais utilizado no tratamento de obesidade e das doenças metabólicas.

Nos dias de hoje, após estudar muito, os cientistas e médicos visualizam algo a mais nas cirurgias como alterações hormonais complexas que acontecem no nosso organismo no pós-operatório. São elas que permitem a prevenção ou o controle das doenças associadas como pressão alta e diabetes. Além disso, um hormônio poderoso chamado grelina que regula nosso apetite é diminuído após as cirurgias.

O seu cirurgião poderá ajudá-lo a decidir qual operação é melhor para você. Esta decisão deve ser tomada após considerar a sua idade, se você tem outras doenças associadas à obesidade, a sua preferência, seu padrão alimentar e a experiência do profissional.

 

Você sabe qual é o seu IMC (Índice de Massa Corporal)? Clique aqui, faça o teste gratuito e descubra sua classificação.

 

A importância de profissionais qualificados no pré e pós operatórios

Se você ou alguém próximo a você está estudando alternativa de buscar ajuda de especialistas em cirurgia bariátrica, pense muito bem antes de escolher os profissionais. Faça uma pesquisa cuidadosa sobre as clínicas e especialistas envolvidos em uma cirurgia bariátrica. Verifique pela internet o CRMConselho Regional de Medicina –  dos profissionais que trabalham em uma determinada clínica. Saiba mais sobre a reputação de uma clínica em associações médicas e órgãos de defesa do consumidor. Esses simples passos já vão ajudar você a encontrar boas referências.

Você poderá realizar a cirurgia bariátrica através de um Convênio Médico Particular. Você terá que passar por um tempo de carência caso o convênio tenha sido contratado recentemente. O ideal, neste caso, é estudar as regras e toda cobertura oferecida pelo convênio em casos de cirurgia bariátrica. Pesquise quais são as clínicas conveniadas ao convênio que mais lhe agradou.

Qualquer pessoa interessada e selecionada para fazer a bariátrica poderá contar com o SUS Sistema Único de Saúde. Neste caso, o tempo de espera e o intervalo entre os exames e as avaliações serão o preço a se pagar. Antes de qualquer coisa, procure um profissional e veja quais são as alternativas que descartam a cirurgia pelo sistema público. A força de vontade somada à dedicação de cada um em superar problemas é a melhor saída antes de qualquer coisa!

O apoio da família, amigos e pessoas próximas de quem sofre de obesidade é um fator de fundamental importância para alcançar os resultados. A cirurgia bariátrica é um dos procedimentos contra a obesidade mais eficientes, mas sabemos que é invasivo e oferece riscos. Combater a obesidade é uma luta que precisa do apoio de todos.

Se você deseja saber mais sobre os Tratamentos Cirúrgicos disponíveis, clique aqui e conheça as técnicas para redução de estômago e controle da obesidade.